7 de janeiro de 2010

Otite e Linguagem

A audição desempenha um papel importante no desenvolvimento lingüístico da criança. Integra o ser humano na sociedade e o coloca em contato com o mundo repleto de sons e significados. A criança com perda auditiva sofre privações sérias e as conseqüências são de acordo com o tipo de deficiência. Existem perdas auditivas reversíveis e irreversíveis. Os problemas mais comuns em crianças, de caráter reversível, são as OTITES (inflamações). As OTITES são classificadas como perdas auditivas condutivas, ou seja, elas prejudicam a adequada transmissão das ondas sonoras. Dessa forma, nossa audição não desempenha seu bem o seu papel, pois fica mais difícil discriminar, localizar, integrar e compreender os sons vindos do ambiente.

O que as otites podem causar?

  • Problemas no desenvolvimento da fala e da linguagem como por exemplo demora na aquisição de linguagem e trocas persistentes na fala;
  • Problemas na escrita, trocas persistentes de letras, já que a criança facilmente se confunde com sons parecidos;
  • A criança demonstra ser distraída e desatenta até mesmo em sala de aula;
  • É preciso fazer um exame auditivo e uma avaliação otorrinolaringológicao, depois o médico prescreve uma medicação pertinente para a criança.
  • Quais as possíveis complicações caso as OTITES não sejam tratadas adequadamente?
  • Os problemas anteriormente citados, se agravam ainda mais, e geralmente há a necessidade de tratamento fonoaudiológico para a correção dos padrões inadequados relativos a comunicação;
  • As OTITES de repetição, podem acarretar uma Desordem do Processamento Auditivo, já que a criança teve a ``experiência acústica`` diminuída. As conseqüências podem prejudicar as habilidades comunicativas na idade pré-escolar e/ou durante a vida acadêmica.
  • Em casos muito graves, a OTITE pode evoluir para quadro de meningite.

O exame auditivo é o método mais rápido e eficaz para detectar as OTITES.

Cuidado, a otite nem sempre está acompanhada de febre!

Um comentário:

  1. Olá, boa tarde. Meu filho tem 2 anos e 1 mês, fala muitas palavras soltas, quando não compreendemos ele aponta o que quer ou gesticula até se fazer compreender, ou ainda fala uma palavra que nos remete ao que ele quer. Exemplo: o Pai está fora do quarto, aí ele fiz :"Mãe, abi (abrir), Pai" e eu entendo prontamente que ele quer sair do quarto para a sala onde o pai estar. Acho muito inteligente essas associações, porém me preocupo pois sinto dificuldades para ele formar frases. Eu vou falando as palavras pausadamente uma a uma e ele repete, porém quando falo a frase completa só fica claro a última palavra.

    Ele é bem social, atende quando chamado, segue comandos imediatamente, brinca muito, é amoroso, mantém Contato nos olhos por período satisfatório, porém, quando está internado ou muito excitado se balança para frente e para trás, contudo não é uma prática que o faça parar de brincar para fazê-la, ou deixar de tá no meio da bagunça com outras crianças para fazê-la.

    Gostaria de sua opinião, já marquei consulta com a fono. Nessa idade esse comportamento é normal?

    Se não fosse o atraso em formar as frases, nada disso passaria pela minha cabeça, em minha família, a maioria falou muito cedo, incluindo seu irmão mais velho, porém o pai dele só falou mesmo após os 3 anos, de acordo com minha sogra e tive 2 primas que tbm so conseguiram ser compreendidas tbm após os 3 anos.

    Desde já agradeço

    ResponderExcluir